Codificação Espírita: você sabe o que é?

Codificacao

A Codificação Espírita é sempre muito comentada nas instituições que estudam e divulgam o Espiritismo. Mas você sabe o que significa e por que é tão importante?

Neste artigo vamos explicar. Acompanhe!

Codificação Espírita: inigualável e única

O conjunto de obras elaboradas através do minucioso trabalho de Allan Kardec – que teve início em 1855 e se encerrou em 1869, com seu desencarne – formam a chamada Codificação Espírita.

Muitos espíritas afirmam que as obras que compõem os fundamentos da Doutrina são  (entre parênteses a data de lançamento de cada livro):

  • O Livro dos Espíritos (1857)
  • O Livro dos Médiuns (1861)
  • O Evangelho segundo o Espiritismo (1864)
  • O Céu e o Inferno (1865)
  • A Gênese (1868)

Essa afirmação está parcialmente correta, uma vez que esses livros compõem a Codificação Espírita, porém, os fundamentos da Doutrina Espírita também estão contidos nas demais obras de Allan Kardec.

Resumindo, todas as obras que levam a assinatura do Codificador, fazem parte da Codificação Espírita. Por isso, devemos somar à lista acima, os seguintes livros:

  • Revista Espírita – coleção disponível em coletâneas anuais, entre 1858 e 1869 (sendo que Kardec foi o editor até o volume de abril de 1869)
  • O que é o Espiritismo (1859)
  • O Espiritismo em sua expressão mais simples (1862)
  • Viagem Espírita em 1862 (1867)

Além desses títulos, também há o interessante Catálogo Racional de Obras para se Fundar uma Biblioteca Espírita, de abril de 1869, e  outras obras menos conhecidas que foram também publicadas no Brasil: O Principiante Espírita (editora O Pensamento) e A Obsessão (editora O Clarim).

Todos esses livros são fruto de trabalho minucioso e precisam ser estudados, uma vez que compõem os fundamentos da Doutrina Espírita – acesse aqui obras da Codificação Espírita.

E as demais obras, fora da Codificação Espírita?

A literatura espírita é muito farta em obras e autores, porém, nem todo livro divulgado como espírita pode ser assim considerado. Para ficar mais claro veja os pontos abaixo:

Todo livro psicografado é espírita?

Não, nem todos. A mediunidade não é exclusividade do Espiritismo, podendo ocorrer no meio de outras religiões, doutrinas e mesmo fora delas e, assim, ser instrumento para produção de uma obra.

Como saber, então, se uma obra é espírita?

Analisando seu conteúdo. Só é espírita o livro que estiver de acordo com os fundamentos doutrinários, contidos na Codificação Espírita.

Então, não devemos considerar outros livros e autores espíritas?

De forma alguma. Eles merecem ser lidos, mas  com senso crítico, comparando as informações com os fundamentos da Codificação Espírita – e isso vale para todas as obras e autores. Se o livro tiver partes corretas e outras incorretas, considerar apenas as primeiras.

E se a informação de um autor/livro for novidade? 

Para saber se um conceito novo é mesmo espírita, não tendo como comparar com o conteúdo da Codificação, devemos usar os critérios estabelecidos por Allan Kardec quando efetuou as pesquisas que deram origem ao Espiritismo. Os dois principais são:

  1. Universalidade das Comunicações: um novo conceito não surge através de um só médium/instituição, mas de vários grupos – Kardec enviava suas perguntas para vários médiuns que não se conheciam e, depois, as comparava para ver a concordância.
  2. Passar pelo crivo da razão: após passar pelo primeiro controle, a mensagem deve ser avaliada pelo ponto de vista racional para ser considerada espírita.

Além disso, o conteúdo deve ser comparado com as informações da Codificação Espírita. Mesmo que não haja citação específica sobre o novo tema, outras informações poderão servir de parâmetro para análise da “novidade”.

Passando por essa análise inicial, o tema deve ser levado para discussões em grupo e para o movimento espírita, aprofundando a avaliação. Isso é necessário para mantermos a coerência doutrinária e impedir que conceitos equivocados sejam associados ao Espiritismo.

A Codificação Espírita no Gabi

O Centro Espírita Gabriel Ferreira, localizado na zona norte de São Paulo, tem como principal objetivo se pautar na Codificação Espírita para realizar todas as suas atividades, começando pelas suas reuniões públicas (segundas, 20 horas), sextas (20 horas).

Assim como a de sexta-feira, pautada em temas atuais, sempre enfocados à luz dos fundamentos deixados pelo Codificador, as palestras de segundas à noite, também seguem esse padrão.

Confira os temas que teremos às segundas, 20 horas, em janeiro e fevereiro de 2020 – toda reunião pública do Gabi tem Passe Espírita e Atendimento Fraterno, bem como Biblioteca Circulante e Livraria.

  • 06.01: Espiritismo e Espiritualismo: saiba a diferença (O Livro dos Espíritos)
  • 13.01: Espíritos: sobrenatural ou natural? (O Livro dos Médiuns)
  • 20.01: As Três Revelações (O Evangelho Segundo o Espiritismo)
  • 27.01: As penas eternas existem? (O Céu e o Inferno)
  • 03.02: A Revelação Espírita e seus ensinamentos (A Gênese)
  • 10.02: A Visão de Deus segundo o Espiritismo (O Livro dos Espíritos)
  • 17.02: Agem os Espíritos sobre a matéria? (O Livro dos Médiuns)
  • 24.02: O Espiritismo e as festas (uma análise do Carnaval à luz da Doutrina)

 

Inicie suas reflexões sobre o Espiritismo com a certeza de respeito à Codificação Espírita. Venha nos conhecer: estamos na Rua Kaneda, 474 – Vila Maria Alta, zona norte de São Paulo. Em 5 de fevereiro (4a feiras, 20 horas), recomeçam nossos grupos de estudo – participe!

Deixe uma resposta