Obras Póstumas comemora 130 anos e será estudada no Gabi, em 2020

O Postumas

Após 21 anos do desencarne de Allan Kardec foi publicado o livro Obras Póstumas – coletânea de textos do Codificador que, até então, eram inéditos ao público em geral.

Era o ano de 1890 e a decisão de reunir esses materiais para publicação foi tomada por seus sucessores na Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. É impossível saber se o professor francês publicaria todos esses textos ou parte deles, só nos restando estudar o material considerando o conteúdo geral da Codificação e a época em que foram escritos.

A seguir abordamos sucintamente o conteúdo de Obras Póstumas que, em 2020, está comemorando 130 anos e fará parte dos Grupos de Estudo do Gabi – Centro Espírita Gabriel Ferreira, localizado na zona norte da capital de São Paulo. Confira!

 

Obras Póstumas enfoca a doutrina e o trabalho de Kardec

Obras Póstumas começa com uma pequena biografia de Allan Kardec e o discurso de Camille Flammarion (cientista e membro da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas – o primeiro centro espírita do mundo), pronunciado no sepultamento do Codificador – um belo discurso que, entre outras preciosidades, atribui o adjetivo de “bom senso encarnado” ao professor francês – e que é muito usado pelos espíritas até os dias de hoje.

O livro foi dividido em duas partes. Obras Póstumas contém, em sua primeira parte, assuntos doutrinários, como: Deus, a Alma e a Criação na visão espírita; Períspirito, manifestações visuais, emancipação da alma, médiuns, obsessão; Fotografia e Telegrafia do Pensamento; Estudo sobre a natureza do Cristo e As aristocracias.

Mesmo que alguns desses temas já tenham sido citados na Codificação, ainda assim é importante conhecer esses artigos.

Na segunda parte de Obras Póstumas temos acesso a mensagens que o Codificador recebeu dos Espíritos que atuaram ao seu lado no magnífico trabalho de estabelecer os fundamentos da Doutrina Espírita.

Assim, descobrimos que o professor viveu uma encarnação como um druida chamado Allan Kardec – daí a escolha por esse pseudônimo para o professor Rivail assinar toda a Codificação. Também sabemos que os Espíritos afirmaram ao Codificador para não fazer nada em relação ao Auto de Fé de Barcelona (queima de livros espíritas em Praça Pública) porque essa ação seria uma poderosa publicidade para o Espiritismo – o que, de fato, ocorreu.

Em relação ao lançamento da Revista Espírita, Kardec é estimulado a lançar o material sem auxílio de patrocinadores, mantendo a independência da publicação e diversificando seu conteúdo – o que mostrou ser a decisão certa.

Em Obras Póstumas, há, ainda, mensagens sobre a fundação da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas e sobre a necessidade do Codificador descansar mais, evitando problemas na saúde que pudessem impedi-lo de concluir seu brilhante trabalho de Codificação.

Além disso, os textos mostram as reflexões de Kardec sobre o movimento espírita após seu desencarne. E sua conclusão é que o ideal seria a formação de um grupo que pudesse trocar ideias e tomar decisões acertadas para a condução do movimento e a preservação da coerência doutrinária – algo que remete ao trabalho de unificação, como o realizado pela União das Sociedades Espíritas de SP.

 

Estudo de Obras Póstumas no Gabi, zona norte da capital paulista

Realmente, é impossível saber se o Codificador publicaria parte ou a totalidade desses textos ou mesmo se ele ainda concordava com tudo o que está contido em Obras Póstumas. Mas, uma vez que foram publicados, é muito importante refletir sobre eles.

Por isso, em 2020, a turma de Estudos Complementares do Centro Espírita Gabriel Ferreira estudará Obras Póstumas, que está completando 130 anos de publicação.

O estudo de Obras Póstumas começa em 5 de fevereiro de 2020, 20 horas (sempre às quartas-feiras, exceto feriado, de fevereiro a novembro). É só chegar e participar – em caso de dúvidas, fale conosco.

Deixe uma resposta