Ciência Espírita: porque ela é importante

Ciencia Espirita.jpg

Enquanto alguns amam, a maioria foge de tudo o que se refere à Ciência Espírita. Isso porque acreditam tratar-se de um tema difícil e sem relação com nosso dia a dia.

Independente de qual lado você está, leia este post e descubra como a Ciência Espírita é um assunto muito interessante.

 

Ciência Espírita e a fé raciocinada

A Doutrina Espírita nasceu de pesquisas científicas elaboradas, aplicadas e analisadas a partir de critérios bem definidos – e obedecidos no decorrer de todo o trabalho de Codificação – por Allan Kardec.

Além disso, o Codificador da Doutrina Espírita foi muito claro ao afirmar que se um dia a ciência provar que o Espiritismo está equivocado em algum ponto, que devemos ficar com a ciência!

A Ciência é tão importante para a Doutrina que foi preciso aguardar o avanço científico para que a Revelação Espírita surgisse e trouxesse todo o esclarecimento que muda nossa forma de entender e viver a vida.

Ou seja, a fé raciocinada é a base de toda a Doutrina Espírita e merece ser levada a sério. E, para isso, não é preciso grandes conhecimentos científicos – confira o próximo tópico e saiba mais sobre a ciência espírita na prática, em nosso dia a dia.

 

A Ciência Espírita presente em nosso cotidiano

O Passe Espírita – disponível em nossas reuniões públicas – e a mediunidade são dois exemplos de como a ciência espírita está presente no cotidiano das Casas Espíritas e de seu público. E a explicação para ambos os fenômenos baseia-se no conhecimento da manipulação de fluidos e do períspirito – ciência espírita pura!

Entender ainda que minimamente esses conceitos, desmistifica equívocos – muitas vezes pautados no maravilhoso e sobrenatural -, permitindo melhorar a prática de seus trabalhadores e ampliar os benefícios que eles oferecem.

Dessa forma, teremos pessoas mais conscientes em relação a quando precisará, realmente, usufruir do passe, por exemplo.

É a ciência espírita oferecendo conhecimento e benefícios ao público das Casas Espíritas, como o Gabi (situado na zona norte de São Paulo/SP).

 

Cura e materializações: José Arigó e Peixotinho no centro dessas mediunidades

O médium José Arigó foi um dos maiores quando o assunto é mediunidade de cura. Fazendo uso de instrumentos variados, sem assepsia e sem conhecimento de medicina, o médium servia de instrumento ao Espírito do Dr. Fritz para efetuar cirurgias que curavam muitas pessoas.

A autenticidade da mediunidade e das curas, aliás, foram atestadas por cientistas americanos que vieram muitas vezes ao Brasil, acompanhar e estudar a mediunidade de cura de Arigó.

Quanto às materializações, Francisco Peixoto de Lins, o Peixotinho é considerado a maior referência no Brasil – e um dos maiores médiuns da história. Através de sua mediunidade Espíritos se materializavam – parcial ou totalmente – e ocorriam o raro fenômeno de transporte e de escrita direta.

Para quem deseja saber mais sobre Peixotinho, o livro Materializações Luminosas é uma ótima fonte de pesquisa, incluindo fotos dos fenômenos – veja essa e outras obras na Biblioteca Circulante do Centro Espírita Gabriel Ferreira, com funcionamento no dia de reuniões públicas e eventos (na Rua Kaneda, 474 – Vila Maria Alta, zona norte da capital paulista).

A mediunidade de Arigó e Peixotinho será o ponto de partida para uma análise sobre a mediunidade de cura e a de materialização, em 7 de fevereiro de  2020, no Gabi (endereço acima citado), com a exposição Analisando as Mediunidades de Cura e de Materialização – compareça e tire suas dúvidas.

 

Flammarion e Delanne: a ciência espírita nas mãos de cientistas

O astrônomo francês Camile Flammarion (1842-1925), foi membro da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, fundada e dirigida por Allan Kardec, tendo recebido importantes prêmios científicos.

Contemporâneo do Codificador, como médium foi fundamental para que Kardec publicasse o livro A Gênese – Os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo. Sendo respeitado no meio acadêmico, divulgou e atestou os fenômenos espíritas, bem como a mensagem espírita.

Já Gabriel Delanne (1857-1926) conviveu com o casal Kardec, amigos íntimos de seus pais, sendo considerado uma espécie de sobrinho de Amélie e Rivail. Engenheiro renomado, realizou várias pesquisas sobre o Espiritismo, com destaque para Mediunidade e Perispírito.

Dois grandes nomes da Doutrina e da Ciência Espíritas, serão ao foco da palestra Flammarion e Delanne: 2 cientistas Espíritas, em 14 de fevereiro, 20:15 horas, no Gabi (instituição espírita localizada na região norte de São Paulo – aguardamos sua visita e sugestões).

 

Nota-se que a ciência espírita está presente no cotidiano das Casas Espíritas e, portanto, merece ser foco de atenção para um maior entendimento do público que participa das instituições e buscam o conhecimento doutrinário.

Análises de processos mediúnicos – como a cura e a materialização – e a divulgação do trabalho realizado por cientistas espíritas ajudam a tornar esse conhecimento acessível.

Então, participe das atividades do Gabi – além de palestras (segundas e sextas, a partir das 20 horas), conheça o Cine Gabi, Clube da Leitura, eventos, atividades sociais. Venha nos fazer uma visita!

Deixe uma resposta