Uma reflexão sobre a Mulher e o Espiritismo

Mulheres

No dia 8 de março o mundo comemora o Dia Internacional da Mulher, data criada em 1975 pela Organização das Nações Unidas (ONU), como forma de cobrar justiça e direitos iguais para pessoas do sexo feminino.

Leia a seguir uma reflexão sobre a Mulher e o Espiritismo.

 

Mulher e Espiritismo: uma visão vanguardista

Em 1857 a Doutrina Espírita surge na França e, entre tantas informações fascinantes, ela chega mostrando que o sexo é uma questão material – o Espírito não possui sexo – e que todos são iguais, merecendo tratamentos e direitos igualitários.

Vai além, demonstrando que em nossas múltiplas reencarnações, estagiamos com sexo diferente, visando o aprendizado que nos levará, um dia, a níveis mais altos de perfeição.

Essa igualdade não é apenas uma visão da Doutrina Espírita, mas do próprio casal de Educadores, Rivail e Amélie, que antes de atuarem pelo Espiritismo, reivindicavam o direito das mulheres francesas receberem educação gratuita do Estado. Ambos argumentavam que cabia às mulheres a difícil e importante tarefa de educar os filhos e que, portanto, precisavam de preparo para isso.

 

A mulher no movimento espírita

A relação entre mulher e espiritismo merece destaque quando falamos do movimento espírita, composto em grande parte por mulheres.

Nas Casas Espíritas, seja como colaboradoras dos mais diversos trabalhos, como associadas da instituição ou na Diretoria das instituições espíritas, a força feminina se destaca.

Da mesma forma, o público recebido nas Casas Espíritas ainda é, em sua maioria, composto por mulheres. São mães, esposas, filhas em busca de conhecimento para si próprias e para maior harmonia familiar – ou, ainda, uma psicografia de um ente querido que partiu.

Isso porque a mensagem espírita colocada em prática transforma positivamente a pessoa e a sua forma de se relacionar com os outros – dentro e fora do lar.

São também elas, na maioria das vezes, que assumem o compromisso de proporcionar aos filhos os ensinamentos espíritas, com todos os benefícios que eles proporcionam ao espírito reencarnante em processo de aprendizagem e reinício de caminhada terrena.

 

Mulher e Espiritismo: uma das palestras de março/202

Como já foi dito, nessa reflexão sobre Mulher e Espiritismo, não somos homens ou mulheres, mas estamos vivendo a experiência atual em determinada condição sexual. E o importante é aproveitar da melhor forma possível.

A Doutrina Espírita nos fornece elementos suficientes para aproveitarmos ao máximo nossa encarnação atual e já nos prepararmos para futuras experiências.

Para isso, é preciso conhecer seus fundamentos e praticá-los no dia a dia. Tarefa possível para qualquer pessoa e que fica mais fácil quando conta com o apoio de um Centro Espírita sério, apto a oferecer o acesso a esse conhecimento a todos.

É o caso do Centro Espírita Gabriel Ferreira, o Gabi. Fundado em 1948, na zona norte de São Paulo, ele oferece grupos de estudo, atividades sociais e confraternativas e reuniões públicas com palestras sobre o Espiritismo, toda segunda (20 h) e sextas (20:15 horas).

Acompanhe a seguir as principais palestras do mês de março/2020 (sextas, 20:15 horas):

  • 03.20: A Mulher e o Espiritismo
  • 03.20: Eficácia da Prece
  • 03.20: Clube da Leitura – apresentação de resumo, seguido da discussão da obra XXX
  • 03.20: Obras Póstumas: você conhece?

 

Se você gostou dessas informações, divulgue nosso site para seus amigos e familiares. Aproveite para deixar seu e-mail e receber notificações de novas publicações – clique AQUI, role a página e informe seu e-mail no final da página.

Deixe uma resposta