Cidadania e Espiritismo: construindo um mundo melhor

Praça adotada pelo Gabi - Depois

Praça adotada pelo Gabi: uma forma de cidadania.

Praça adotada pelo Gabi - Antes

Foto tirada logo após a limpeza e plantio da grama. Lixo e entulho encheram mais de 1 caçamba.

Ser cidadão também significa participar mais da vida em comunidade. Na escola, no clube ou mesmo no Centro Espírita sempre haverá espaço para colaborar e ajudar a construir um mundo melhor. Como adotar uma praça, que estava suja e maltratada, e transformá-la com o trabalho conjunto.

O Centro Espírita Gabriel Ferreira, localizado na zona norte de São Paulo, acredita que Espiritismo e cidadania combinam muito bem!

Vamos ajudar a construir um mundo melhor?

Cada vez que agimos pensando nos outros, e não apenas em nós mesmos, estamos sendo cidadãos.

Isso mesmo. Ao jogarmos o lixo no lixo (para não sujar nossas ruas, calçadas e praças), usarmos menos água para economizar esse precioso recurso ou utilizamos um brinquedo da praça com cuidado, estamos ajudando a fazer desse mundo um lugar melhor.

A própria Casa Espírita sempre foi um espaço que convida à prática da cidadania. Vejamos alguns exemplos que mostram que cidadania e Espiritismo podem caminhar de mãos dadas:

  • Doando roupas, sapatos ou brinquedos que não precisamos mais, mas que ainda estão em bom estado (a lógica é simples: se aquele item doado ainda puder ser usado por você, então ele está em condições de ser disponibilizado para outra pessoa);
  • Ajudando os mais idosos a descer escadas, carregando suas sacolas ou servindo-lhes um copo de água, quando precisarem, por exemplo;
  • Mantendo o espaço limpo e bem cuidado, sem jogar sujeira no chão e guardando tudo o que usar após a utilização (livros, papéis, canetas, brinquedos etc).

Esses são apenas algumas formas simples do que podemos fazer para deixarmos a Casa Espírita um local mais confortável, agradável e interessante para  todos. Mas podemos fazer muito mais, basta termos boa vontade e amor para colaborar.

A cidadania frente à Covid-19

Nos dias atuais, por conta da pandemia provocada pela Covid-19, a cidadania pede outro tipo de ação, muitas vezes difícil, mas que precisa ser levada a sério.

É o caso de usar máscaras sempre que sair de casa e, até mesmo, evitar sair sem necessidade.

Todos os demais cuidados com higiene, conforme instrução da Organização Mundial da Saúde (OMS), entre eles usar álcool em gel, se isolar no caso de sintomas da doença, evitar aglomeração ou segurar aquela vontade de estar com familiares e amigos, também são formas de exercer a cidadania.

Se oferecer para ajudar um idoso que mora sozinho fazendo suas compras,  com o devido cuidado, também é importante, assim como ajudar em campanhas de donativos ou comprar do pequeno comerciante local, ajudando, assim, a garantir empregos e manter as esperanças, apesar da Covid-19.

Não podemos correr riscos de virar agentes de disseminação do novo coronavírus. Tampouco podemos fechar os olhos para os menos favorecidos que, em momentos de crise, como o atual, crescem em grande quantidade.

Assim, mesmo com o isolamento social, nossa Casa Espírita conseguiu colaborar doando roupas para população de rua e livros espíritas para mulheres que encontram-se em detenção, além da doação de cestas básicas.

Praça adotada pelo Gabi

Antes e depois da Praça adotada pelo Gabi mostra como podemos fazer a diferença!

Ao adotar uma praça, o Gabi exerce sua cidadania

Em 2018, o Gabi (Centro Espírita Gabriel Ferreira, localizado na zona norte de São Paulo), adotou a Praça Otacílio Vieira, perto de sua sede social, promovendo uma verdadeira transformação no espaço – os cuidados continuam mesmo durante a pandemia do novo coronavírus.

Após um mutirão para retirada de lixo, entulho e mato – foi preciso mais de uma caçamba para descartar tudo -, foi plantada grama amendoim e arrumar a iluminação. Desde então, fazemos um monitoramento constante para garantir que a praça mantenha-se limpa (aqui, cabem nossos agradecimentos a todos que, de alguma forma, têm colaborado para manter o espaço livre de sujeira e outros materiais).

Infelizmente, ainda que tenha diminuído muito, ainda há pessoas que despejam móveis e outros itens, exigindo contato com a subprefeitura para retirada desses materiais que deveriam ser descartados em um dos Ecopontos da região – aqui você pode conferir os endereços de Ecopontos na capital paulista.

Estamos muito satisfeitos com essa iniciativa, mais um exemplo de que cidadania e Espiritismo combinam muito bem. Por isso, te convidamos a saber mais sobre essa ação lendo:

 

O Gabi adotou uma praça

 

Deixe uma resposta