Centro Espírita Gabriel Ferreira completa 73 anos de respeito ao Espiritismo

O Centro Espírita Gabriel Ferreira completa 73 anos de respeito ao Espiritismo – e às obras da Codificação Espírita.

Conheça um pouco dessas bela história!

Gabi: como tudo começou

No final da década de 40, a dona de casa Aparecida Faria (vide fotos aqui em nosso site), juntamente com seus amigos Maria  Mineira (foto também neste site, na página de nossa história), Roque Pereira de Castro, Sebastião de Paula, José Adriano, Djaniro Abrante, Virgínia Moraes, entre outros, formou um grupo para estudar a Doutrina Espírita, utilizando as dependências de seu próprio lar.

Nascia, então, em 10 de agosto de 1948, o Centro Espírita Gabriel Ferreira, assim batizado em homenagem ao mentor espiritual da Sra. Faria.

Em pouco tempo, em virtude, principalmente, do trabalho de “cura” realizado pela patrona da Casa, o público tornou-se muito grande, inviabilizando o atendimento na residência de Aparecida e, então, com o consentimento da própria proprietária foi construído um salão na frente do terreno e da casa da médium.

Começou, assim, a história do Centro Espírita Gabriel Ferreira que, este ano, comemora 72 anos de existência, de trabalho e de muito carinho a todos que dele fazem parte.

Outros trabalhos têm início no Gabi

Não tardou muito para que o CE Gabriel Ferreira começasse a oferecer ao público reuniões de estudo, mediúnicas e de assistência espiritual.

Paralelamente aos estudos e trabalhos espíritas, a Casa passou a oferecer ao público em situação de risco, cestas básicas, roupas, calçados, e até mesmo uma Creche, que funcionou entre os anos de 1981 e 1983 – tendo cuidado de até 19 crianças entre 1 mês e 2 anos de idade -, fechando em função do alto custo que tornou o projeto inviável.

Na área social também ocorreu, por cerca de quinze anos, a distribuição de sopa – bem como roupas, calçados, cobertores (na época de frio) e até livros para quem desejasse.

O Bazar Beneficente, criado na década de 80, se firmou como uma das atividades mais importantes do Gabi para arrecadar verbas e, ao mesmo tempo, oferecer a oportunidade de pessoas de baixíssima renda, adquirir itens de necessidade a preços simbólicos.

A compra de sede própria

O Centro Espírita Gabriel Ferreira, localizado na zona norte de São Paulo, foi crescendo e a necessidade de haver um espaço maior e exclusivo para as reuniões levou Aparecida e seus amigos a realizarem uma campanha para adquirir uma sede própria, fora da Casa da fundadora e, no começo dos anos 60, a sede é transferida para o local atual, na Rua Kaneda, 474.

Pouco tempo depois, em 21 de novembro de 1967, desencarna  Aparecida Faria.

À época não havia o salão superior, construído posteriormente. Na verdade, ao longo dos anos, nossa Casa passou por reformas que tornaram a sede mais confortável e moderna, recebendo adequadamente o seu público.

Também estendeu seu nome para fora do espaço físico da instituição, adotando uma praça próxima e transformando-a totalmente – de um espaço repleto de lixo para um local agradável.

As inevitáveis mudanças

No decorrer dos anos mudanças foram sendo efetuadas, sempre com o intuito de atender da melhor forma possível todos os que procuram o Centro Espírita Gabriel Ferreira.

Enquanto alguns trabalhos foram extintos, outros foram criados. Caso da realização de Festa Junina, da criação da Cia de Dança Gabi e da Galeria Espírita Vasículo Gomes.

Mas sempre com o cuidado de manter fidelidade aos princípios doutrinários contidos nos ensinamentos deixados pelo Codificador Allan Kardec e seguindo a determinação do Estatuto do Centro Espírita Gabriel Ferreira, cujo primeiro item determina que a Casa trabalhe pelo estudo e divulgação das obras da Codificação Espírita.

Além disso, continuamos a desenvolver atividades que possam ajudar os menos favorecidos, conforme nossas possibilidades.

Representado por uma Diretoria, eleita a cada três anos por seus associados, o Centro Espírita Gabriel Ferreira, pertence à USE (União das Sociedades Espíritas), Distrital Vila Maria, colaborando na difusão e preservação da coerência doutrinária e participando ativamente do Movimento Espírita em São Paulo.

O Gabi, inclusive temo pessoas  na equipe do Programa Momento Espírita, criado em 1972 e com mais de 48 anos no ar.

Este ano, com o surgimento da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o Centro Espírita Gabriel Ferreira precisou se reinventar, passando a usar ferramentas digitais para continuar a realizar estudo e palestras doutrinárias online.

Assim é o Gabi, uma casa que se mantém fiel à Codificação Espírita, enfrentando os desafios para fazer sempre o seu melhor. Parabéns a todos que compõem o CE Gabriel Ferreira, parabéns Gabi!

Deixe uma resposta